06 janeiro, 2006

Cataratas

Você olha e tudo o que você pode fazer é olhar. E além de se sentir pequeno e finito, uma tempestade de paz anuvia sua mente. Seus pensamentos são resvalados junto à água que cai drasticamente e depois corre sem sofrimento. O estrondo é tão alto que silencia todas as coisas e é tão forte que se assemelha ao próprio silêncio. Nada sobra de você, apenas seu relógio-de-pulso – verdadeira algema da sociedade – que lhe prende e lhe puxa para fora daquele lugar. E o que realmente sobra são umas fotos, uma memóriazinha vulgar e a sensação de ter sido acordado no meio de um sonho bom.

<$BlogItemCommentsCount$> Comentários:

Anonymous lys disse...

Gosto do seu jeito de escrever, na verdade sempre gostei. Esta foto me emocionou, as cataratas são lindas e a sensação que se tem de alma lavada é imensa.
Bu estou pra falar com vc, mas não sei se ja voltou de viagem.
beijos
Lys

14/1/06 23:14  
Anonymous mari disse...

você escreve bem pra cacete.

16/1/06 04:15  
Anonymous Nina disse...

E aí Nino, já tá no RJ?
E q história é essa de não ter meu número de telefone?
Tô magoada c vc...
Bjks.

16/1/06 14:30  
Anonymous Carol disse...

memóriazinha vulgar??? n fale assim n... ninguém vai tirar suas lembranças jamais, são as melhores coisas q temos... lembranças...

16/1/06 17:49  
Anonymous Dimas disse...

Não seja pessimista rapaz. Não sobram só as memoriazinhas vulgares das fotos. A imagem que fica na tua mente é o que importa de verdade.
Valeu, beijo na bunda.

17/1/06 12:14  
Anonymous Cássia disse...

Vai se F... Você ta ficando bom nisso mesmo, hein?
(finalmente apareci)
Cassinha

15/2/06 16:30  

Enviar um comentário

<< Home