15 abril, 2006

Outro Escrito Sem Artigo

Tem gente que se despede mandando beijos e abraços, mas não beija, não abraça. Tem gente que diz que ama, mas não exerce o amor. Ama um banco vazio em frente ao mar. Ama de aluguel, por tempo e preço determinado. Essa gente tem um amor que entra de férias. Ama no fim-de-semana. Tem hora marcada para amar. Gente que não tem fé, precisa de milagres pra saber que Deus existe. Tem gente que gosta de rotular e classificar. Podem me chamar de romântico, jaboriano, rodrigueano, marciano, o que for, serei sempre eu. Simplesmente eu, com toda a simplicidade que alguma coisa pode ter. Assim como amar. Amor não necessita de artigo definido ou indefinido. Olha, amor é amor e pronto. É simples. Amor deve ser escrito sem artigo. Tem gente que precisa definir e limitar para se proteger. Quem tem medo limita. Como aquela pessoa que vai na beira do mar pra se molhar, mas não sente toda a sensação de liberdade que um mergulho provoca, não sente o balanço das ondas. Não nego a necessidade do sinto-de-segurança, mas não me peça para parar de acelerar numa estrada plana e reta, sem limites.

<$BlogItemCommentsCount$> Comentários:

Anonymous renata disse...

Amor não se explica,define...se vive!
Amor é um sentimento tão estranho...mistura de lágrimas com risadas!
Vc tá falando muito de amor...sempre alias...para de pensar e vai viver!
hum..quem sou pra falar isso!
Gostei do texto,ele é uma resposta?
beijinhos.

15/4/06 12:51  
Blogger Marcela Bertoletti disse...

Essas pessoas que amam esse amor de fim de semana e de ferias, na verdade não sabem o q eh o amor, se enganam. Vc tem razão, não vale nada amar um banco vazio.
Adorei o texto!
Bjao

15/4/06 15:43  
Anonymous mari disse...

eu achei que você tinha entendido o banco vazio. acidente, bruno, acidente.

assim como eu sempre te falei do lúcido e do lúdico, é o sinto e o cinto.

eu não sei, a gente fica sempre, e sempre vai embora. não sei, a gente precisa conversar. ou não, né?

o que é de saber você sabe.
nem todo mundo precisa ter a certeza de que estamos nos respondendo. rs

;*

15/4/06 17:49  
Anonymous Anna Carolina disse...

Amor q n é pra sempre n é amor. Falar de amor é bonito, mas... será q é amor? E, se vc amou e acabou então foi só amor da boca pra fora.

20/4/06 18:15  
Anonymous rapha disse...

é cara..

amor é amor..

e as vezes não sabemos se vivemos ou não..

amor se confunde e confunde, se camufla e brinca de pisque esconde..

mas amor quando é amor não se esconde, se revela, brilha e chama..


Mas então.. foda mané!! adorei! :)

21/4/06 23:56  
Blogger Héctor Oto disse...

As sem-razões do amor


Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.


Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.


Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.


Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade.

Amor não tem mesmo explicação ou definição. o problema é que desde pelo menos o século XIX tratam o amor como algo divino, eterno e perfeito. Colocaram características não humanas em personagens, os prícipes encantados. Amor virou a busca do perfeito entre os imperfeitos.
Pegue o caderninho, hoje ele peidou mal, ontem reclamou o dia inteiro do chefe, roncou...e ao final de um tempo ninguém mais ama.
As pessoas em meio ao egolotrismo querem transoformar o outro num espelho, achar alguém como elas e isso eu chamo limitação.
Após a primeira curva o carona desce do carro para não mais voltar dizendo ao motorista que a velocidade não poderia diminuir nunca.

21/5/06 02:02  

Enviar um comentário

<< Home